[Site] The juggling edge

Como vocês sabem (ou não) o Juggling Database vai acabar.
Sim, esse lindo site com um banco de dados de recordes e uma rede social muito interessante está com seus dias contados.

Mas isso não é motivo para desespero!
Recentemente nasceu um novo site, com uma ideia parecida mas com interface diferente. The Juggling Edge promete substituir o JDb quando ele realmente se for.

Por enquanto contamos principalmente com uma área para cadastro de eventos (convenções, festivais, etc) e encontros, qualquer pessoa pode cadastrar seu encontro, em qualquer lugar do mundo. Até o circo no beco já está lá!
Há também a seção Small Talk, um forum no estilo discussão, bem dinâmico e sem possibilidade de edição ou de apagar mensagens enviadas.
A seção Big Talk é destinada a assuntos menos imediatos, que exigem mais reflexão. Para tanto, é necessário aguardar 24 horas, após manifestar-se, para poder criar um tópico ou responder a um existente.
Uma seção de recordes, em breve, também está sendo planejada.

O site ainda está em desenvolvimento mas vale a pena conferir. É totalmente em inglês pois contém pessoas do mundo inteiro.
o que você está esperando? The juggling edge, uma proposta diferente, vamos ver no que vai dar.

Portal do malabarismo

Eis que surge uma nova rede social para malabaristas. Proposta por Richard Santos. O Portal do Malabarismo concentra vídeos, imagens, informações sobre eventos e um fórum para troca de ideias e experiências. A questão é, será que essa rede social dará certo? Só depende de nós, malabaristas e aspirantes!

Estamos juntos nessa! Portal do Malabarismo e Portal Malabares caminhando para o desenvolvimento da arte no Brasil!

O que você está esperando? Clique para conferir!

O impossível

A impossibilidade de realizar algo existe?

Se há cerca de dois anos atrás me falassem que 4 diabolos low era possível, provavelmente eu desconfiaria ou riria, tendo em vista que na época 3 diabolos já parecia uma coisa de outro mundo. Atualmente, 3 continua sendo algo muito impressionante e digno de crédito, mas temos algumas dezenas de indivíduos jogando quatro diabolos.

 

recentemente, Etienne Chauzy fez pouco mais de 5 pegadas com 5 diabolos!

 

Seria possível um jogo sólido com 5, assim como hoje existe com 4 diabolos?
Acredito que sim.

O impossível, vem se distanciando, cada vez mais. Hoje, uma ideia que parece absurda, como jogar 6 diabolos low, ou 18 bolinhas para o alto, talvez venha a se tornar realidade no futuro.
É interessante perceber que quando o primeiro indivíduo realiza algo grandioso, outros, que também possuem potencial para tanto aparecem.
Quando o primeiro vídeo de 4d low apareceu, mostrando que era possível, a comunidade mundial de diabolistas ficou surpresa e chocada positivamente, desde então vários outros diabolistas apareceram jogando também.
O mesmo pode acontecer para todos os dispositivos malabarísticos.

Atualmente, o único que vi jogando 10 bolas multiplex (como um cascade com 5) foi Alexandr Koblikov, mas é bem provável que hajam outros.
Hoje assisti sua tentativa de jogar 14 bolas multiplex.

 

É possível qualificar (no caso, fazer 14 pegadas) com 14 bolas multiplex? E manter isso por 100 pegadas?

O brado “Eu acredito!” ouvido em diversos eventos circenses e encontros de malabarismo nunca foi tão verdadeiro.

Você acredita que existem limites para o malabarismo? Quais suas opiniões sobre o que foi dito?
Nos diga nos comentários!

 

 

 

[site] The juggling school

Fundado por Anthonny Gatto, com parceria de grandes nomes como Dan Holzman, Dick Franco, Françoise Rochais e Michael Chirrick.
The Juggling School é um site que apresentará vídeo-aulas, pdfs, aulas pelo youtube ou por skype, coaching, etc…

Destinado à formação de malabaristas profissionais, propõe, entre outras coisas, ensinar exercícios específicos para atender às necessidades de aprendizado de cada malabarista.

Os preços são um pouco elevados, 65 dólares para uma sessão de skype ou apresentação de truque específico no youtube.

Existe também um canal do youtube, ainda (e talvez para sempre) com poucos vídeos públicos.

Me parece uma grande iniciativa, eles propõe algo novo e interessante. Contudo, tendo em vista que malabaristas disciplinados podem muito bem aprender sem um treinador, será que o projeto irá dar certo?

http://thejugglingschool.com/
Canal no youtube: The juggling school

[eJuggle – Interact!] Concurso online de fotografias

galera, está rolando um concurso online de fotos!
é só mandar uma foto que contenha malabarismo em um ponto de referência/local famoso e escrever uma legenda em inglês.
Os prêmios do último concurso foram um DVD do IJA para o 1º colocado e inscrição como membro gratuitamente no site do IJA para os 3 primeiros.

http://ezine.juggle.org/2012/02/23/interact-photo-contest-haiku-winners/

Dicas para manter sua motivação

Dicas para manter sua motivação (do orginal, ‘Diabolo: como manter sua motivação’)

Nos deparamos constantemente com alunos, amigos e conhecidos que param a prática do malabarismo alegando terem perdido a motivação ou por não sentirem o mesmo prazer que sentiam quando começaram a praticar diabolo.

É óbvio que atividades que exigem muito do individuo, como a prática constante com diabolos, podem se tornar monótonas caso não tenhamos persistência ou desistirmos facilmente perante as dificuldades.

Abordaremos aqui alguns meios interessantes de manter sua motivação e seu nível de interesse pela arte do diabolo, esperamos que pelo menos algumas destas dicas possam ser aproveitadas.

 

Determine objetivos: O primeiro ponto a se observar é que devemos nos focar em nossos objetivos, ou seja, determinar metas de aprendizado. Isso pode ser feito estabelecendo datas para aprender determinadas manobras ou elaborando uma rotina constante de treinamento, por exemplo.

Alguns diabolistas não gostam de elaborar treinos sempre semelhantes, seja por falta de um horário determinado para treinamento, ou por pensarem que treinar dessa maneira limita a capacidade de desenvolvimento de novas manobras. De qualquer maneira, há a possibilidade de determinar objetivos para o aprendizado, sem mudar a maneira que os treinos são realizados.

 

Aprenda novas manobras: Quando aprendemos coisas novas nos sentimos motivados a aprender cada vez mais, por isso é importante aprender novos truques e estilos com o diabolo.

Sites interessantes para aprender manobras básicas e intermediárias e essenciais para quem está começando são:

www.diabolotricks.com

http://thediabolo.com/index2.php

http://www.2diabolo.net/

 

Mas atenção! Tenha calma, 2 diabolos parecem algo bem atrativo no começo, mas procure aprender o máximo que puder com 1 diabolo antes de começar a treinar com 2. Caso contrário, você poderá ser mais um como vários outros diabolistas, que ao “pular” o básico e ir direto para dois diabolos acaba não aprendendo nenhum dos dois de maneira satisfatória.

Antes de começar a treinar 2 aprenda ao menos todos os estilos com 1 diabolo e estas manobras: Genocide, tomicide, infinite suicide e suas variações.

 

 

Assista vídeos: Ao assistir novos vídeos, observamos novas idéias, pontos de vista diferentes dos que tínhamos antes. Algo que, além de incitar nossa criatividade, nos possibilita modificar as manobras que aprendemos a criar manobras novas, transformando o que vimos.

Afinal, não dizem que nesse mundo “nada se cria, tudo se transforma” ?

Isso também se aplica ao malabarismo.

 

O site mais interessante, e essencial para qualquer diabolista acompanhar os mais novos vídeos sobre diabolo na Internet é o: www.diabolo.ca.

No Youtube você também pode encontrar uma infinidade de vídeos de malabarismo.

Também recomendamos que todos os diabolistas assistam ao dvd: Diabology do grupo The mad french posse.

 

Procure por alguém para treinar com você: Encontrar parceiros de treino é um meio muito eficiente de se manter motivado. Pois com alguém treinando sempre com você, as manobras são passadas de um para o outro, o aprendizado é realizado junto e os vídeos e os encontros podem ser vivenciados em parceria.

 

Conheça pessoas que também treinam diabolo e freqüente encontros de malabares: Esse é um dos pontos mais importantes e úteis. Conhecendo pessoas que também treinam diabolo, sejam elas mais experientes ou menos do que você, possibilita uma vivência diferenciada do que pela internet. Ao interagir com outros malabaristas sempre aprendemos manobras novas, mas lembre-se que malabarismo não é só aprender, mas também ensinar.

Participar de encontros de malabares também é muito interessante para aprender novas manobras e até mesmo conhecer outros tipos de malabares e estilos diferentes.

As comunidades de malabares no Orkut sempre têm alguns anúncios sobre encontros e são um ótimo lugar para conhecer outras pessoas que também praticam, não deixe de conferir!

 

Esperamos que essas dicas tenham ajudado algumas pessoas que se sentiam desmotivadas.

Lembre-se sempre que o malabarismo deve ser uma atividade, antes de tudo, prazerosa. E a única pessoa que pode realmente te dar motivação é você mesmo, esses são apenas alguns meios de auxilio para conseguir essa motivação.

por Lucas G. Abduch em 04/06/2009

Estilos de manobra com 1 diabolo

No artigo anterior conhecemos as principais modalidades com diabolo. Cada modalidade possibilita uma diversidade incrível de manobras. Podemos dividir estas manobras em diversos estilos diferenciados, alguns diabolistas preferem trabalhar mais com alguns estilos do que outros, porém, diabolistas mais experientes buscam, muitas vezes, misturar vários dos estilos, criando combinações incríveis!

Podemos enquadrar quase todas as manobras nos seguintes estilos:

 

Aceleração: Manobra básica e necessária para qualquer bom diabolista conseguir realizar combinações longas com vários estilos de manobra. Os principais tipos de aceleração são: Horizontal whip, Loop acceleration e Chinese acceleration.

 

Sun: Manobra que normalmente não tem um alto nível de complexidade, consiste em “levar” o diabolo em movimentos circulares e pode ser combinado facilmente com giros e movimentos corporais. Existem diversos tipos de suns, desde movimentos que passam o diabolo por entre os braços ou que cruzam as baquetas até suns que passam o diabolo pelas pernas ou até as costas.

 

Tutorial com alguns tipos de suns:

 

Grind: Consiste em colocar o diabolo nas baquetas, possibilita um número limitado de variações, porém pode ser facilmente combinado com diversos outros estilos de manobra. Todos os tipos de grind diminuem a velocidade do diabolo. Porém existem recordes de grinds, feitos com uma determinada técnica, que duraram mais de 9 minutos!

 

Body: Toda e qualquer manobra que envolve partes do corpo. Os bodies mais básicos são os que o diabolo passa pela perna ou pelo braço. Porém também existem diversos bodies em que o diabolo passa pelas costas ou realiza movimentos complicados envolvendo mais de uma perna ou braço. Diabolistas que apresentam seqüências muito boas com movimentos corporais são: Vux (The mad french posse), Petit Lu, e William Crackers.

 

Magic Knot (Nó mágico): Manobra em que parece que há um grande emaranhado de nós no diabolo e que ele ficará enroscado na corda, mas que na verdade são apenas combinações simples que liberam o diabolo no ar. São ótimas pontes de ligação entre manobras.

 

Whip’s e Whip catch: Whip Catch é o conhecido “chicote” que também se divide em inúmeras variações. Whip’s são manobras onde a baqueta bate em uma porção da corda e são laçadas determinadas partes do diabolos (ex: copo frontal), não possuem grandes variações mas possibilitam diversas aberturas para realização de magic knots. Os pricipais são: J-whip e C-whip.

 

Suicide: Qualquer manobra em que uma baqueta ou as duas saem das mãos do diabolista. Existe um grande número de suicides e eles podem se desenvolver em Genocides, onde o diabolo sai da corda, a baqueta dá uma volta completa sobre o diabolo e o pega de novo. Ex: Chinese suicide, infinite suicide, slowcide, Genocide.

 

Integral: Manobra onde num certo momento, o diabolista segura apenas na corda, enquanto as baquetas giram em torno do diabolo O integral mais conhecido é chamado de eric’s integral ou Tomicide. Também possibilita muitas variações.

 

Vídeo de um integral genocide:

 

Com certeza existem outros estilos de manobras com 1 diabolo, mas aqui estão os mais utilizados e conhecidos pelos diabolistas do mundo inteiro. Muitos deles também se aplicam para 2 ou 3 diabolos, como veremos em artigos futuros. Alguns diabolistas preferem estilos baseados em bodies, outros em suicides, mas os grandes diabolistas conseguem combinar de uma maneira fluida todos os estilos e se destacam por isso.

Independente do seu estilo preferido não se esqueça: Continue treinando!

 

Lucas G. Abduch, escrito em 15/03/2009

Diabolo: Introdução e modalidades

O diabolo é um malabares muito difundido no exterior (principalmente na Ásia e na Europa) que vem ganhando força no Brasil durante os últimos anos. Hoje em dia o diabolo já se espalhou pelo nosso país inteiro, e muitas pessoas vêm se destacando no cenário nacional.

A arte do diabolo está sempre em desenvolvimento. Todos os dias surgem novas manobras, estilos e variações que muitos pensavam que nunca seriam possíveis. Como em diversos outros tipos de malabares (bolinhas, devil stick, claves, etc…) o diabolo pode se dividir em diversas modalidades. Entre elas estão:

1 diabolo: Por onde todos os diabolistas começam. Possibilita a maior quantidade de manobras. É aconselhável se aperfeiçoar com 1 diabolo antes de começar a treinar com…

2 diabolos: Também possui uma grande variedade de truques. Muitas das manobras feitas com 1 diabolo também podem ser feitas (com algumas adaptações) com 2 diabolos.

Além das manobras convencionais, a modalidade ‘2 diabolos’ se divide em 2 estilos:

– 2 diabolos low: o mais tradicional, onde os diabolos se mantém baixos, na altura da corda.

– 2 diabolos high: onde os dois diabolos são jogados em movimentos circulares acima da cabeça do diabolista. Possibilita uma menor quantidade de manobras, mas também exige treino e concentração.

3 diabolos: esta modalidade também possibilita ser jogada na corda (low) ou no alto (high).

Para se jogar com 3 diabolos é necessário muito treino e persistência. O movimento das mãos é muito importante e pode ser sincronizado (mãos se movendo para cima e para baixo simultaneamente) ou não sincronizado (enquanto uma mão se move para cima e outra se move para baixo e vide-versa)

Neste tutorial podem ser encontradas informações mais detalhadas:

http://www.juggling.tv/vaults/view_video.php?viewkey=d6640e4fe47854476d13

4 5 e 6 diabolos: Já há algum tempo existem jogadores de 4, 5 e até 6 diabolos no alto, porém no final do ano de 2008 começaram a surgir pelo mundo jogadores tentando uma nova modalidade: 4 diabolos low!

Aqui está um vídeo com um hand start de 4 diabolos low com os 4 diabolos parados:

Também existem tentativas de 4 diabolo low a partir dos diabolos no alto (high).

Vertax ( ou Excalibur): uma modalidade diferente e que também possibilita uma infinidade de manobras. No excalibur, ou vertax (vertical axis/ Eixo vertical) como é mais conhecido, o diabolo fica na vertical e se mantém, para os destros, do lado direito da cabeça, entre o ombro e a mão.

É necessário muito cuidado e uma área livre relativamente maior para se jogar com o diabolo na vertical.

Um diabolista conhecido por revolucionar as idéias no vertax é Marco De Matteis(M4U)..

Estas são algumas das modalidades possíveis com diabolo. Cada modalidade se divide em diversos estilos e possibilita milhares de variações.

Lucas G. Abduch, escrito em 08/02/2009

Diabolo: Aplicando conceitos entre malabares.

Recentemente comecei a praticar swing poi, e percebi que muitos dos conceitos existentes com poi podem ser aplicados ao diabolo. Sei que o mesmo acontece com claves, então talvez possamos buscar conceitos de staff, devil stick ou outros malabares que também se apliquem ao diabolo.

Podemos perceber que não existe uma diferença tão grande entre malabares distintos. Por isso é interessante explorarmos esses “conceitos comuns” para fortalecermos cada vez mais nossa técnica com determinada arte circense.

Enfim, irei apresentar aqui algumas das semelhanças que podem ser observadas facilmente:

Swing poi => Fan – Buzzsaw:

O fan, movimento com dois diabolos, consiste em girar os dois diabolos entre os braços de maneira alternada. Existem vários tipos de fan, os mais comuns são o S-fan (os dois diabolos aceleram) e o AC-fan (nos casos mais comuns um diabolo acelera e o outro desacelera, mas existem pessoas que conseguem manter o ac-fan por um tempo indefinido).

            No Buzzsaw, os dois poi ficarão entre os braços da mesma maneira que o fan, porém mais variações são possíveis, porque os dois poi não estão ligados da mesma maneira que os dois diabolos.

Observem a semelhança nos vídeos:

Diabolo – Fan:

Poi – Buzzsaw:

swinging move – 3 beat weave:

 

Novamente observa-se a semelhança entre os movimentos das mãos, apesar de ser um pouco mais difícil controlar esse movimento quando realizado com os diabolos.

Muitas das variações possíveis com o swing poi podem ser utilizadas no diabolo, desde que as mãos não realizem movimentos muito separados, pois deve-se lembrar que os dois diabolos sempre estarão conectados de alguma maneira.

Diabolo – Swinging move:

Poi – 3 beat weave:

Claves => Conceitos com duas claves aplicados à troca de baquetas:

 

A transposição de conceitos fica um pouco mais complicada quanto falamos de claves, aros ou bolinhas, pois são objetos móveis, diferentes do diabolo que depende das baquetas e da corda. Porém mesmo assim ainda existem alguns eixos de ligação entre eles.

Ceri-Anne apresentou em um vídeo não muito recente um conceito com a troca de duas claves aplicado à troca de baquetas de maneira muito inteligente. Novamente observamos esta interação entre malabares.

Observamos que o malabarismo não é uma arte fechada, podemos buscar pontos em comum entre diversos malabares.

Aqui estão algumas das possibilidades, contudo é claro que existem muitas outras conexões entre malabares. Cabe aos malabaristas que praticam várias modalidades diferentes descobrir essas conexões e apresentá-las ao mundo.

Por isso continue treinando, quem sabe você não é o próximo a inventar um conceito aplicável a vários malabares!

por Lucas G. Abduch em 10/05/2009

%d blogueiros gostam disto: